Logomarca do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

População carente é atendida por mutirão de órgãos públicos, incluindo o TRT-2

 

Uma equipe formada por servidores e magistrados do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) estará até esta quarta-feira (23/11), das 9h às 15h, na Praça da Sé, em São Paulo-SP, dando suporte à população carente. A iniciativa é parte do 2º Mutirão de Atendimento à População em Situação de Rua da Cidade de São Paulo (Pop Rua Jud Sampa), ação coordenada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) e que conta com a participação de diversos órgãos públicos. 

O evento teve início nessa segunda-feira (21/11). O Regional está com duas tendas montadas para atender a população em busca de informações sobre consultas de processos e possíveis demandas judiciais, além de realizar atermações verbais, que correspondem ao ato de ouvir a reclamação do cidadão e transformar essa demanda na petição inicial de um processo.

O primeiro a ser atendido pela equipe do TRT-2 foi Francisco Luis de França. Desde o ano passado, ele está com um processo em curso no Tribunal e foi em busca de notícias. “Eu estou desempregado e vim atrás dos meus benefícios”, afirmou. Ele saiu de lá satisfeito com todas as informações pertinentes ao seu processo e ainda aprendeu a acompanhá-lo por meio do Aplicativo JTe.

Quem também foi atrás de notícias sobre um processo em andamento foi a diarista Valmiria Machado da Mota, que vive atualmente em situação de rua após a perda do emprego há um ano. “Tenho um processo e vim saber se já teve audiência e quando será a próxima. Consegui todas as informações que precisava”, contou. 

 

   

  

 

A juíza-auxiliar da Presidência Sandra Assali Bertelli, que está coordenando a equipe do TRT-2, acompanha tudo de perto. “É  um atendimento de resgate e promoção da cidadania, sobretudo para esses moradores que se encontram hoje em situação de rua. Eles são trabalhadores e já estiveram empregados em algum momento e, em razão da situação em que se encontram, precisam dessa valorização, desse reconhecimento”, explicou a magistrada.

Ela conta que houve um atendimento a um homem que foi resgatado de em situação análoga à escravidão em uma carvoaria em Minas Gerais e que tem um processo em andamento no TRT da 3ª Região. Ele recebeu as verbas rescisórias, mas não a indenização por danos morais.

“Quando ele chegou aqui e nos procurou, não tinha o número da ação nem o nome da empresa. Conseguimos, com a tenda da Caixa, todas as informações e, daqui mesmo, fizemos o encaminhamento ao Ministério Público”, disse a magistrada. Ela acrescentou ainda que todas as pessoas que buscarem a Justiça do Trabalho durante o evento serão atendidas e auxiliadas, independentemente da demanda. 

Os atendimentos estão sendo realizados por servidores da Unidade de Apoio Operacional de São Paulo. Também participam dos atendimentos a juíza auxiliar da 13ª Vara do Trabalho de Guarulhos-SP do TRT-2, Sheila Lenuza Amaro de Souza, integrantes da Secretaria de Segurança Institucional, da Secretaria de Infraestrutura, Logística e Administração Predial,entre outras. Confira todas as fotos do evento aqui.

 

 

 

Voltar
Atualizado por Secretaria de Comunicação Social (secom@trtsp.jus.br)
Rolar para o topo