Logomarca do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

Comissão de Gestão do Teletrabalho

 

A Comissão de Gestão do Teletrabalho tem dentre suas atribuições o acompanhamento do desenvolvimento do teletrabalho por meio de relatórios, com periodicidade máxima anual.

Para tanto, faz uso de relatórios semestrais enviados pelas chefias imediatas dos servidores alocados neste regime de trabalho.

Com base nestes relatórios a Comissão de Gestão do Teletrabalho avaliará as dificuldades encontradas e quaisquer outras situações detectadas que possam auxiliar no desenvolvimento do teletrabalho, bem como os resultados alcançados, inclusive no que concerne ao incremento da produtividade.

Ainda, analisará e proporá, caso necessário, soluções à Administração do Tribunal acerca de eventuais problemas detectados e de casos omissos.

A Comissão de Gestão do Teletrabalho é composta por um magistrado, que é o Coordenador da Comissão, um representante das unidades participantes do teletrabalho, um servidor da área de saúde, um da área de gestão de pessoas e um representante da entidade sindical dos servidores.

A Comissão faz reuniões periódicas em que são tratados assuntos inerentes ao tema, como discussões de questões pontuais, propostas de melhorias nos processos de trabalho e, avaliações com base nos relatórios encaminhados pelas chefias que tenham servidores alocados nesse regime. As reuniões são registradas em ata.

A Comissão de Gestão do Teletrabalho disponibiliza a relação dos servidores autorizados a atuar nesse regime, que pode ser consultada na aba Transparência/Lotação de Pessoal/Servidores em Regime de Teletrabalho, com atualização mensal.

 

- zelar pela observância das regras definidas neste ato e na Resolução n. 151/CSJT, de 29 de maio de 2015;

- avaliar, a cada semestre a efetividade do teletrabalho, integral e parcial, à luz da produtividade esperada, com base nos indicadores de desempenho das unidades e nos relatórios elaborados pelos gestores(as) que tenham servidores(as) atuando nesse regime;

- analisar e propor soluções à Administração do Tribunal, fundamentadamente, acerca de eventuais problemas detectados e de casos omissos; e

- fornecer parecer acerca da majoração do quantitativo de servidores(as) que poderão exercer o teletrabalho integral, mediante solicitação fundamentada da unidade interessada.

EstruturaMembrosInformações complementares
1 (um/uma) magistrado(a) indicado(a) pela Presidência do Tribunal  
1 (um/uma) servidor(a) da Diretoria Geral da Administração  
1 (um/uma) servidor(a) da Secretaria de Gestão Estratégica e Projetos

 

 
1 (um/uma) servidor(a) da Secretaria de Gestão de Pessoas

 

 
1 (um/uma) servidor(a) da Secretaria de Saúde  
1 (um/uma) servidor(a) da Coordenaria de Estatística e Gestão de Indicadores  
2 (dois/duas) diretores(a) de unidade com servidores(as) em teletrabalho  
  
1 (um/uma) representante da entidade sindical dos servidores  

 

Normas do TRT2:      Consulte na Basis TRT2
Normas de outros órgãos:
Resolução n. 151/CSJT, de 29 de maio de 2015

Incorpora a modalidade de teletrabalho às práticas institucionais dos órgãos do Judiciário do Trabalho de primeiro e segundo graus, de forma facultativa, observada a legislação vigente.

 
Resolução n. 227/CNJ, de 15 de junho de 2016Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências.

 

- Questões e dúvidas relacionadas ao tema podem ser direcionadas ao endereço eletrônico: comissao.teletrabalho@trtsp.jus.br


Voltar
Atualizado em 24/06/2022
por Secretaria de Gestão Jurisprudencial, Normativa e Documental (sgjnd@trtsp.jus.br)
Rolar para o topo